Início

Sobre

Áudios

Vídeos

Contato

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Coisas da Vida - Falando de Papai Noel !

Eu estava olhando o pisca-pisca da arvore de natal, quando ele para, olha prá mim e pergunta :

- Dió, você acredita em Papai Noel?

Quando decidi ter um blog e escrever sobre as coisas que fizeram ou fazem parte da trajetória das nossas vidas, a minha intenção não é de desvendar os grandes mistérios ou dar soluções para os problemas, a minha intenção é por em discussão os assuntos mais importantes e polêmicos da humanidade e quem sabe com isso aliviar os traumas e trazer a luz da consciências algumas simples soluções para os grandes problemas que marcam ou marcaram de alguma forma as  nossas vidas.
O assunto que vou colocar em pauta, fez em algum tempo lá atrás, parte, e ainda fará parte da vida de milhões de crianças por todo o planeta, e se agora não houver um preparo para que quando esta verdade chegar, com certeza teremos milhares de seres chocados, abalados, revoltados e com traumas irreversíveis para o resto de suas vidas.

A minha pergunta é simples :

-Você se lembra do dia em que soube que o Papai Noel não existia e que você havia sido enganado?

Você se lembra qual foi sua reação e os traumas que acarretaram em seu desenvolvimento e amadurecimento? Você já pensou, talvez, parte da merda que você é hoje pode ter vindo desta revelação?
Particularmente eu nunca fui muito de esperar o Papai Noel, minha ideia era a seguinte :
-  ”O que vem é lucro!”
Noel, na medida do possível me trazia um presentinho, tipo carrinho de plástico ou de madeira, bola, para minha irmã vinha aquelas simples bonecas, era o que dava para se comprar, vivíamos um período de vacas magras, com tudo, com tudo nunca passávamos sem receber nossos presentinhos.
Resultado de imagem para vacas magras humor
A partir disso não tínhamos grandes expectativas com o Papai Noel, tudo que viesse era bem vindo, quando eu soube da verdade, de que ele realmente não existia, isso só confirmou minhas duvidas, como poderia o Papai Noel  fazer tanta diferença entre os brinquedos que uns e outros recebiam?
Afinal ele deveria ter dinheiro, gastava tanto com suas renas e trenós vindo lá do polo norte, aparecia em comerciais de televisão oferecendo de tudo, sempre com um sorriso e seu saco cheio de presentes valiosos, e quando vinha em casa só deixava simples presentinhos, comparados aos que os amigos ganhavam? Tinha que haver algo errado nessa história.
Falando em gastar e essa turma do compra sem controle, compram de tudo,  "arrebentam" seus cartões de créditos, depois se afundam em dívidas, isso é um reflexo de uma infância carente, fazem agora o que não podiam fazer quando criança, sofreram da tal depressão de Papai Noel.
Vamos realmente ao que interessa, qual é a forma mais correta para informar uma criança de que Papai Noel não existe  para que elas não se transformem em adultos desequilibrados? Momento complicado né?
Por outro lado temos também a turma do pólo invertido do trauma, aquelas que sempre tiveram de tudo, esperaram o melhor do "Papai Noel"  e sempre receberam, como fazer para "abrir o jogo" e dizer que ele não existe? Tem algumas dessas pessoas que acreditam nele até hoje.
Adultos ou crianças, acreditando ou não, Papai Noel sempre vai fazer parte dessa nossas fantasias, afinal, estamos sempre procurando um Papai Noel ou uma Mamãe Noel para repousar as nossas cabeças, quem sabe de quebra não vem um carro novo, dinheiro na conta do banco, viagens etc.
Admitindo ou não, sempre estamos a esperar que o bom velhinho nas noites de natal nos deixe uma simples lembrancinha no pé da arvore ou quem sabe lá mais o que? Afinal, quem não gosta de ganhar presentes?
Decidi ligar pro João para ter uma segunda opinião sobre este assunto e o papo rolou assim :

- Fala ai João Belele?

Grande Dió, como vai a vida!

- Só empurrando com o intestino grosso!

Mas prá que você me ligou Dió?

- É o seguinte  João, estou aqui escrevendo a respeito de natal, papai noel, presentes, qual sua opinião sobre isso?

Cara, sou a favor de presentes, de receber principalmente e se for de graça, melhor ainda, a favor também de qualquer festa que tenha comida e bebida na faixa.
O homem tem quatro idades, quando acredita em Papai Noel, quando não acredita em Papai Noel, quando se é o Papai Noel e quando se parece com o Papai Noel.

- É João... você tem razão, mas antes de ir quero deixar esta para você  pensar :