Início

Sobre

Áudios

Vídeos

Contato

sexta-feira, 1 de março de 2013

Coisas Da Vida - O Injeção !


Estava com uma puta dor de cabeça, as vezes tenho crise de enxaqueca, acho que já disse isso algumas vezes, também pudera, tenho problemas como qualquer mortal, as vezes falta grana, falta paciência, outras vezes falta esperança, mas fazer o que, o bonde tem que seguir.
E lá fui eu no armário, na minha caixinha de remédios  pegar um comprimido, sem olhar, meti a mão no armário e espetei o dedo em alguma coisa, alguma coisa não, espetei o dedo na porra de uma seringa de injeção, ela estava lá a muito tempo esquecida, quando puxo o dedo, ela vem junto, olha prá mim e diz :

- E ai Dió, mordi seu dedo? Fiz de propósito, você me deixou esquecida no armário faz um tempão, me vinguei!
Ela ficou sorrindo tirando uma onda com a minha cara, não pensei duas vezes, quebrei ela e joguei no lixo, sai dali e resolvi escrever um pouco.
Aquela agulha de injeção me trouxe a lembrança de um amigo que mora aqui perto de casa, não é bem amigo, o melhor termo é um conhecido, que mora aqui perto.
Como disse outras vezes, gosto de andar, principalmente quando tenho algum problema ou estou triste, em uma dessas andanças parei no bar de um amigo para jogar conversa fora e quem aparece? O Injeção.
O injeção é nóinha aqui da vila, e hoje em dia em qual vila não tem um desses? Ele é um cara jovem de mais ou menos uns 25 anos, esta um pouco acabado, esta sempre de bermuda até o meio das canelas, de chinelos, cabelos negros e despenteados e com a barba sempre por fazer.
Ele chega a porta do bar com duas latas de azeites fechadas que estavam embrulhadas em um saco de pão e oferece para a turma que esta ali papeando, ele tira as duas latas de azeite do saco, dá uma geral e diz  :

Injeção - E ai mano, se  tá interessado num produto de primeira, coisa boa, é que tô "precisano" comprar uns "bagulho" e tô fazendo um corre, sê tá ligado no movimento?
Claro que ninguém aceitou, ele é conhecido por todos ali  e todo mundo sabe que ele tira as coisas de casa para vender prá comprar "bagulho" como diz ele.
Se você passa na frente da casa dele quando ele esta sentado no portão ele sempre te pede um real, se você passa agora, ele te pede um real e esquece que pediu, você volta um minuto depois, ele vem de novo e te pede mais um real, as drogas andam corroendo as lamparinas do "miolos" dele, ele te cumprimenta a cada dois minutos.

Injeção - E ai mano, como vai essa força? Me arruma umas moedas, pode ser um real!
Ele tem o apelido de injeção porque ele é uma bomba ambulante, seria mais um laboratório ambulante, ele esta sempre inventando alguma coisa nova pra ficar loucão.
Ele já tomou antiácido estomacal com pinga, remédio para dor de cabeça com conhaque, álcool de limpeza
com fluido de isqueiro, chá de fita K7 com chá de cogumelo da bosta da vaca, o negócio dele é ficar doidão não importam os meios.
Se você sair na rua, fatalmente vai se cruzar com ele, ele fica para lá e para cá a procura de alguma receita nova ou de algum dinheiro para compra seus bagulhos.
Quando ele esta disposto fica perto de um estacionamento de um banco aqui perto de casa "olhando" carros para ganhar alguns trocados, ele não olha porra nenhuma, pega algumas moedas e sai fora.

Imagine o Injeção olhando carros!

Injeção - E ai doutor posso olhar o possante?, e "fica" no sossego que seu veiculo tá na segurança, se tá ligado?
E ai segue a vida do Injeção, a turma aqui fica apostando até quando ele aguenta isso, e quando ele fica doidão então, geralmente ele esta em casa, você passa em frente e ele esta em cima do muro, divagando palavras, cantando, berrando, geralmente o que ele diz aqui na terra dos mortais não tem muito sentido.
Prá você ter uma idéia, quando ele esta doidão, joga tênis, roupas, o que tiver em mãos, nos fios de energia que passam em frente a casa dele, lá você encontra pendurado, calças, camisas, tênis, parece uma arvore de natal.

O cara é uma figura, fiquei sabendo que ele antes de se envolver com as drogas, trabalhava em um banco, era um jovem como muitos outros, rapaz trabalhador e ai se envolveu com essas porras de drogas e ai, o resultado já sabe.

Liguei pro João, aquele meu camarada, para saber a opinião dele sobre as drogas, e o papo rolou assim :

- Fala Dió, tudo beleza por ai? Tô degustando umas brejas, afinal, eu mereço, esta semana foi dura no trampo...mas e ai ?

Aqui tudo bem João, te liguei  porque estou escrevendo sobre um carinha que mora aqui perto de casa, um nóinha, o Injeção, e eu queria saber a sua opinião a respeito de drogas!

- Sem entrar na discussão em relação as drogas licitas e ilícitas, esta semana eu consegui me livrar das drogas, da droga do meu sogro, da droga da minha sogra e do meu cunhado folgado, e também da porra daquela droga de namorada que arrumei.

Então tá legal, a gente se fala depois, valeu Dio, vê se você se cuida, mas antes de ir quero deixar esta para você pensar :
.