Início

Sobre

Áudios

Vídeos

Contato

sábado, 23 de julho de 2011

Coisas da vida - Os ídolos também morrem! (Amy Winehouse)


Eu estava em casa ouvindo musica, quando quase tive uma overdose, uma overdose de surpresa, um misto de tristeza e decepção ao ver o noticiário :

- Emy Winehouse morre aos 27 anos !

Era algo que podemos dizer, ser esperado, principalmente pelo tipo de vida que ela levava, pelos escândalos pessoais em que se envolvia, os atrasos e cancelamentos de shows, o comportamento fora e dentro dos palcos, e tudo isso causados pela dependência das drogas.
Não podemos deixar de reconhecer o seu grande talento, uma ótima cantora, compositora e letrista, ela dava uma interpretação toda especial e diferenciada em suas composições.
Ela surgiu no cenário musical em um momento em que estávamos carentes de ídolos e de artistas talentosos, coisa que já a algum tempo o mercado da musica estava devendo, mas assim tão rápido como surgiu, se foi.
Talvez em algum momento, ela deixou se levar pela ilusão da fama, dos aplausos e do dinheiro fácil, e ai precisava de algo mais, afinal havia chegado ao topo.
O que mais poderia ela querer no alto dos seus 27 anos, já tinha tudo o que o dinheiro e a fama poderiam proporcionar, menos o amor próprio, e ai surgiram as drogas e porque não?
Dai para a morte era uma questão de tempo, de oportunidade e motivações. É uma pena, assim como tantos outros ela se eternizara na galeria da morte prematura causada pelo consumo de drogas.
Amy foi encontrada morta neste sábado em seu apartamento em Camden, ao norte de Londres, a suspeita é que ela morreu de overdose.
Ultimamento ela só vinha fazendo pequenos shows em casas noturna e pubs londrinos, em recente show em Belgrado, ela caminhou cambaleando pelo palco, estava errando as letras das musicas, não conseguia cantar uma musica até o fim, seu estado era lamentável, por causa disso, acabou sendo alvo de vaias e insatisfação dos fãs, que pagaram certa de r$ 130,00 reais para assistir aquelas tristes cenas de um idolo decadente.
Seja lá como for que você irá classifica-la, uma coisa devemos reconhecer, foi uma grande artista, e assim como tantos outros seus contemporâneos que se afundaram nas drogas, ela vai deixar marcas em seu tempo, e em nosso tempo.
Ela também ira se eternizar dentro da história da musica, mas, por isso pagou um preço muito alto, pagou com sua vida.
Poderá passar 50, 100 anos, a imagem que teremos de Emy Winehouse será de uma cantora de talento, com uma aparência extravagante, que cantava muito, que vivia "chapada", e que morreu prematuramente aos 27 anos vitima de si mesma.

sábado, 2 de julho de 2011

Coisas da Vida - Panela cheia !

Antes de vir até o pc para escrever, decidi dar um a chegada ao armário da cozinha aonde guardo uns "trecos" para "beliscar", ao passar pelo fogão vi uma panela em cima, aquela imagem me chamou a atenção, e eis que ela olhou prá mim e disse :

- Ei Dió, porque você esta olhando prá mim desse jeito?

Depois de pensar um pouco respondi :

Sabe o que é, olhando prá você me veio a lembrança de algo recente que aconteceu comigo, eu fiz uma analise dos fatos e cheguei a conclusão que poderíamos nomear aquilo de "panelinha", depois te explico melhor, agora vou escrever um pouco.
Interessante essa coisa de "panela", por um lado, ela prepara o alimento que sustenta nosso corpo, por outro a "panelinha" exclui, poda e inibe a criatividade e o desenvolvimento e surgimento de novos talentos e novos produtos.
Já citei isso algumas vezes por aqui, já ando até cansado de bater nessa mesma tecla, o que notei é que o tempo passa e as coisas continuam do mesmo jeito.
Estou falando no seguimento radio, isso vem acontecendo em quase todas as emissoras de radio, se formam grupos e mais nada penetra nesse circulo, a única forma disso mudar é quando o gerente ou o diretor artístico sai dessa emissora.
Mas ai temos um outro outro grande problema, o que entra, trás a "panelinha" que criou lá na outra emissora, e o que sai leva a panela dele embora, e a coisa se transforma em um círculo vicioso sem fim.

Panelinha : sf. Bras. Grupo muito fechado de pessoas dadas ao elogio mútuo.
Esta semana que passou, a coisa se repetiu, esse negócio de "panelinha" veio atrapalhar a possibilidade de minha entrada em uma grande emissora de radio aqui de São Paulo, capital.

Provavelmente alguém de lá vai ler isso, tô cagando e andando, estou muito preocupado com o que vão pensar de minha opinião, acho que nem vou dormir, quem sabe isso sirva de alerta, no fundo sei que nada vai mudar e a coisa vai continuar como esta, mas pelo menos não fico em cima do muro, dou a minha opinião, mesmo sabendo que isso não servirá para nada.
Semana passada mantive contato com Big Boss de uma grande emissora de radio aqui de São Paulo que retransmite seu sinal para todo o Brasil, ele repassou meu email para a gerência
artística da radio dele, recebi um email dessa pessoa pedindo material para analise, enviei o material aguardando resposta, a conclusão de certa forma já era a esperada, resposta :

Oi diogenes, boa noite,
Recebi o cd ouvi os quadros, mais acho que não tem adequaçao para a XXXXXXXXXXX.
Agradeço o seu contato.

(colei da resposta que recebi)

O pior é que ficou lá o meu cd piloto, com trechos de programas e diversos personagens em drops de humor, eu já evito de colocar aqui para não expor muito "meus filhos", porque sei que nessa área de radio tem um monte de vampiros sem criatividade e ai eles sugam, copiam, fazem pequenas alterações e dizem ser de criação deles, é meu amigo,o negócio fede.
Digo isso porque tem uma emissora aqui na capital a qual fez a mesma coisa que essa outra, mandei material para analise, disseram não ter nada com o perfil da radio, roubaram na cara dura um dos personagens, mudaram um pouco as características só para não dar tanto na cara e hoje tem um programa com esse objeto de furto, roubaram um filho meu.
Será que a coisa não pode acontecer de novo? É preciso tomar muito cuidado com esses sanguessugas da comunicação.
Como pode ver, a coisa se repetiu, não que meu trabalho seja o melhor, posso ouvir um não, isso faz parte, mas ouvir um não, de uma gerência artística que se acomodou, que fechou um circulo de amizades dentro da emissora e se blindou de qualquer coisa externa, isso é cruel, isso não!
A emissora não coloca novidades na programação a anos seguidos, a anos tudo é uma repetição sem fim, um bate e volta eterno, isso me deixa um tanto puto, um ótimo espaço no dial, com poder de inovar,de oferecer um diferencial, o ousado, e a coisa fica nisso, infelizmente, não há o que se fazer, principalmente se a gente se encontra do lado de cá do muro.

Você liga o radio, e ouve o locutor com voz de "veludo" :
- Oi querido ouvinte, você pede e a gente toca, a gente te ama, e toma musica...e mais musica,
você muda e a mesma coisa, só a voz é um pouco diferente o resto é igual, as emissoras que se destacam são aquelas que tem uma programação diferenciada.
Fico triste em ver o "radio" um instrumento de comunicação tão fascinante, decadente, limitado e sem criatividade, tudo parecendo uma radio vitrola, só tocando musicas e mais musicas e com programas de gosto duvidoso, programas que achincalham e agridem, e ainda tendo que aturar essas porras de "panelinhas e mais panelinhas".
Tem duvidas em relação a isso, entre em um site de uma dessas emissoras de radio, veja as histórias e quem são os locutores, geralmente residem na mesma região do diretor artístico, são
amigos, ou vem das mesmas cidades e se pesquisar mais vai até encontrar algum parentesco direto. Já fiz essa pesquisa, queria saber se o que faço realmente é muito ruim ou existe alguma coisa a mais por trás disso.
Para um esclarecimento, com o programa Clube do Desesperados na Rede American Sat de Radio, durante 5 anos, liderávamos a audiência do horário, inclusive "batíamos" as gigantes nas regiões aonde disputávamos audiência, uma outra coisa importante, gosto de gerente artístico é muito relativo, principalmente se quem envia material é alguém próximo, não é preciso dizer mais nada, para bom entendedor, meia palavra basta.
Esse é um blog de humor, sendo meu, aqui posso me expressar, e aproveito este espaço para fazer um desabafo pessoal, afinal, piada sem graça como essa, a agente tem que dividir com os amigos, sorria.
Pensei em ligar para o João mas desisti, ele dirá que eu tenho razão, que eu sou lindo, que sou bacana, criativo, um gênio da comunicação, afinal, o João faz parte de minha "panelinha".